Pico do Corcovado

O Pico do Corcovado, com seus 1.160 metros de altura, é misterioso, imponente e se sobressai na paisagem do município de Ubatuba, causando fascínio e curiosidade, pois o local guarda estórias e lendas de tesouros enterrados protegidos por espíritos encantados.

Pico do Corcovado - UbatubaTecnicamente o Pico do Corcovado é uma pedra saliente no alto da Serra do Mar localizada na região sul de Ubatuba, de onde se tem vista panorâmica de grande parte do litoral norte paulista, e do lado oposto as incontáveis colinas que compõem o Vale do Paraíba. Existem duas trilhas por dentro da mata que levam até o cume do Pico do Corcovado, a mais longa, porém mais amena, é pelo Parque Estadual da Serra do Mar, em Natividade da Serra, e a outra opção, de trilha mais curta, porém mais acentuada e rigorosa, se inicia no Bairro do Corcovado, região Sul de Ubatuba, e é a mais utilizada.

Trilha do Corcovado – Natividade da SerraCorcovado - Alto
O acesso ao Pico do Corcovado pela Rodovia Oswaldo Cruz (SP 125) se dá pelo km 66, e neste ponto deve-se seguir 15 km até a Vila da Vargem Grande e depois mais 2 Km até a entrada do Parque Estadual da Serra do Mar, Núcleo Santa Virgínia em Natividade da Serra. A caminhada a partir deste ponto é de 18 km (ida e volta), com desnível de 750 metros de altitude, nível de dificuldade alto e duração média de 9 horas. É feita do continente em direção ao mar e só deve ser realizada com o acompanhamento de um guia credenciado do Parque Estadual da Serra do Mar.

Trilha do Pico do Corcovado – Ubatuba
Esta é uma trilha semi aberta, mais curta, cerca de 15 km (ida e volta), porém mais acentuada, acidentada e escorregadia, que se inicia no Bairro do Corcovado, região Sul de Ubatuba, onde se caminha de costas para o mar em direção ao continente, encarando a muralha da Serra do Mar de frente. São 1.000 metros de desnível durante toda a trilha, que se assemelha a uma interminável escadaria, e não recomendada para iniciantes por ser uma trilha de muita subida e descida de terra com muitas raízes, forçando os joelhos. Logo no começo da caminhada observa-se o imponente pico a ser superado que tem forte inclinação e a subida pode levar de 4 a 5 horas até o alto do pico de 1.160 metros de altitude, sendo que a volta pelo mesmo caminho costuma levar até duas horas a menos.

O Caminho até o pico por Ubatuba
Uma primeira recomendação é com relação a época do ano escolhida para a aventura, as estações de outono e inverno são as mais indicadas para a escalada, pois o índice de chuva é baixo, proporcionando terra firme. O começo da trilha tem algumas bifurcações antes de se iniciar a subida definitiva, várias “picadas” são feitas na mata, pelos índios da Aldeia Renascer que ali próximo vivem, em seguida a constante inclinação da trilha, é o que desafia a potência muscular e a resistência física. Por ser uma região úmida, perde-se muito líquido através do suor, mas uma vantagem é que na trilha, existem alguns pontos de água potável. A Floresta Atlântica se revela em toda a sua exuberância, com árvores muito altas, copas emaranhadas, com fachos de luz do sol penetrando por entre as árvores, muitos insetos e sinfonia de pássaros, com destaque para o canto metálico das Arapongas vindo das profundezas da mata. A subida se dá, na maior parte do tempo, dentro da mata fechada, e antes da metade do percurso, existe um aglomerado de rochas conhecido como Capelinha, normalmente local da primeira parada, ponto de onde se pode vislumbrar um visual magnífico do mar.

Já próximo ao pico, um bambuzal fechado pode causar arranhões, daí a recomendação para se usar mangas compridas, neste ponto a trilha é um percurso sinuoso, que percorre a crista fina da serra, um lugar perigoso, pois a vegetação densa esconde penhascos. Uma dica para auxiliar nas descidas, é utilizar um bastão para poupar os joelhos, sendo uma técnica simples que agiliza a descida e diminui o impacto nas juntas das pernas, evitando dores.

Trilha para o Pico do Corcovado a partir da Praia Dura – Narrativa de Tiago (www.fenope.com.br)
“Para chegar até o inicio da trilha siga pela Rio-Santos até o Km 96 e entre no Bairro do Corcovado, poucos metros após sair da rodovia, haverá uma bifurcação, siga pela esquerda na estrada asfaltada, mais ou menPico do Corcovado - Fé no Péos 1 km a frente você verá placa indicando à direita o caminho para o Pico já em estrada de terra, entrando nessa estrada, após passar a ponte o inicio da trilha é na segunda entrada à direita onde é possível chegar de carro até um campo de futebol, e estacionar.

Após o campo de futebol siga a estrada pela direita até uma pinguela, e após este ponto, o caminho é tranquilo por uma estradinha e em 50 metros entra-se na trilha mais fechada que logo no começo já corta um rio, partindo desse trecho é praticamente só subida. Não existe muita dificuldade de navegação na trilha, ela está bem visível, o que é necessário é um pouco de atenção em alguns trechos que induzem a pegar outro caminho “sem saída”, outra coisa que se deve ter cuidado são com cobras venenosas na trilha. Após aproximadamente 2 horas de subida chegamos a “Igrejinha”, não fique esperando nada construído pelo homem, são algumas pedras grandes amontoadas (diz a lenda que à meia-noite, próximo da igrejinha é possível avistar a imagem do Pico do Corcovado - Vista da IgrejinhaFrei Bartolomeu rondando por lá), caminhando alguns metros existe uma outra subida via trilha bem ao lado da igrejinha que é um belo mirante.

Esse trecho da igrejinha está aproximadamente a 450 metros de altitude, passando dele a trilha vai ficando cada vez mais pesada, e a inclinação junto com os altos degraus formados pelas raízes das arvores exige bastante das pernas na subida. Depois de sair da igrejinha, caminhando por quase 900 metros e alcançando a cota de 750 metros de altitude, temos o último ponto de água próximo da trilha, sendo que a trilha segue pela direita e o ponto de água está à esquerda. Apesar da distância entre a igrejinha e o ponto de água ser pequena, andar com a inclinação da trilha não é tão rápido. Continuando subindo após a “bifurcação” do trecho de água, por mais 850 metros, na cota de 1.050 metros de altitude, temos uma clareira, usada como primeiro ponto de camping, desse trecho até o pico falta pouco, porém, a última subida até o cume é bem pesada, e dependendo do cansaço considere em parar um pouco nesse trecho ou até mesmo acampar nele e seguir no dia seguinte.
Pico do Corcovado
Partindo deste ponto de camping, a trilha segue pela direita e já na crista do pico lateral ao Corcovado, andando cerca de 5 minutos já é possível ter uma visão clara do cume. Esse trecho da trilha é bem suave levando em consideração o que já se passou, alguns trechos até com pequenos declives. O último trecho da trilha para chegar ao cume é uma “escalaminhada”, essa é a hora do esforço final onde é necessário e muito a ajuda das mãos para subir os últimos 100 metros e aproximadamente 60 metros de altitude, com alguns pontos com pedras molhadas que dificultam bastante a subida. Após a “escalaminhada”, à direita está o cume do pico com uma área de camping para no máximo 3 barracas pequenas e um pouco mais a frente um pequeno espaço para mais uma barraca, virando para a esquerda há uma área de camping maior e mais protegida do vento.

Pico do Corcovado - Pôr do Sol

Para quem decidir por acampar é bom ter em mente, que a temperatura cai muito durante a noite, então se prepare para os ventos e o frio, uma outra dica é guardar todos os alimentos dentro da barraca, pois alguns quatis podem tentar “roubá-los”. O Pôr do Sol ou o Nascer no alto do Pico do Corcovado, é uma visão incrível que compensa qualquer esforço da subida. A descida não tem segredos de navegação, é só prestar atenção e seguir a trilha, se na subida exige bastante das coxas e da panturrilha, na descida a força sobre os joelhos é grande, e após caminhar quase 4 horas para descer a visão do rio lá do começo da trilha é tentadora e um banho ali dá um ânimo a mais para o corpo se preparar para voltar para casa.”    Fonte da narração: https://www.fenope.com.br/trilha-pico-do-corcovado-litoral-norte-ubatubasp/

Pico do Corcovado

Um pouco de Geografia: Pontos Culminantes em Ubatuba
Durante anos foi ensinado nas escolas que o ponto culminante de Ubatuba era o Pico do Corcovado, com seus 1.150 metros, localizado próximo a Praia Dura e fazendo divisa com Natividade da Serra. Hoje o Corcovado continua sendo o mais famoso da cidade, uma riqueza de rara beleza, inspirador do folclore local e marco inegável na paisagem, também chamado de “O Cartão Postal de Ubatuba”. Porém o relevo local apresenta no norte e noroeste do município, nas Serras da Boa Vista e do Caboclo Iaçá, trecho elevado da Serra do Mar ao norte de Ubatumirim, em área de densa mata atlântica, inúmeros picos com cotas acima de 1.200 metros de altitude. Como destaque nesta região, temos o Morro do Cuscuzeiro que se situa no Núcleo Picinguaba do Parque Estadual da Serra do Mar (coordenadas 23° 18′ 14″ S e 44° 47′ 16″ W) com 1.277 metros de altitude e o Morro do Corisco (coordenadas 23°17’3″S e 44°48’27″W) na Serra do Paraty, Divisa RJ-SP com altitude de 1.279 metros.

O Ponto mais alto de Ubatuba: Pico Alto Grande
Pesquisadores do Grupo Setorial de História e Geografia da FUNDART, determinaram o ponto mais alto do município de Ubatuba com o nome de “Pico Alto Grande”, (coordenadas 23°13’14”S e 44°53’13”W) com 1.678 metros de altitude na Serra de Paraty, na divisa com o estado do Rio de Janeiro, conforme confirmado pelo Instituto Geográfico e Cartográfico da Secretaria do Planejamento do Estado de São Paulo.
Fonte das informações geográficas: Livro Ubatuba ou “Ubachuva” Uma Questão de Geografia – Ophélia Alves Figueira de Camargo

Propaganda de Veículo Novo no Pico do Corcovado
Um fato curioso, ocorreu no Pico do Corcovado em 1994, quando a Chevrolet levou uma carcaça de um Monza num helicóptero, até o Cume do Corcovado, pra fazer o comercial de lançamento do veículo lá.
Veja a seguir a exibição do mesmo:

 

Veja que interessante “Dronagem” realizada do alto do Pico do Corcovado por Drone da Montanha :

Importante:
Para realizar trilhas, siga algumas regras básicas: Preserve a natureza, não jogue lixo na trilha, não maltrate os animais, não entre em propriedades particulares, recolha seu lixo e dê o destino certo para ele, deixe apenas pegadas, evite fazer barulho, desfrute dos sons da natureza, cuidado para não causar incêndios na floresta, planeje bem sua caminhada e informe a alguém sobre seu passeio, proteja-se do sol, mosquitos, borrachudos e mantenha-se sempre na trilha.

Se a caminhada for extensa é indispensável alguns acessórios como um calçado confortável, calça comprida leve e macia, camiseta de manga comprida por conta do capim navalha, boné, mochila impermeável com repelente, protetor solar, máquina fotográfica, muda de roupa seca, capa de chuva, agasalho, apito, toalha, lanterna, além do lanche, água e barrinha de cereal por exemplo. Preste atenção as passadas, e desníveis causados por erosões, devido às chuvas, e a utilização de um “cajado” ajuda bastante a diminuir os impactos.

Também esteja alerta para a presença de cobras peçonhentas que são muito comuns na região da Mata Atlântica, as mais comuns são a jararaca, coral, jararacuçú e urutú-cruzeiro, e costumam ficar no meio da trilha e especialmente em lugares que bate sol.

Fazer trilhas acompanhado de um Guia Credenciado, é uma boa recomendação para garantir mais segurança e também aproveitar para conhecer a história do local.

Lembre-se: da natureza nada se tira, além de fotos e nada se leva, além de boas lembranças!!!