Arraia-Jamanta, a gigante voadora!

Autores: Nicholas Negreiros, Mariana P. Haueisen, Thais R. Semprebom e Douglas F. Peiró

As arraias-jamanta ou raias-manta estão entre os maiores peixes cartilaginosos do oceano. Os peixes cartilaginosos (Classe Chondrichthyes) são animais que não possuem um esqueleto formado por ossos, mas por cartilagem. Essa classe engloba tubarões, raias e quimeras, incluindo as raias-manta, animais fantásticos, gigantescos e extremamente pacíficos que parecem voar no mundo submerso com seus movimentos lentos e precisos.

Raia-manta em visão ventral. Fonte: Stevelaycock21/Wikimedia Commons (CC BY-SA 4.0).

Biologia das Jamantas
Antes de 2009, todas as espécies de raias-manta eram classificadas como Mobula birostris (raia-manta oceânica), mas houve uma separação taxonômica graças à observação de diferentes comportamentos entre grupos de animais.

As mantas-de-recife (Mobula alfredi) são normalmente encontradas em tamanhos que variam de 2,5 m a 5,5 m de comprimento e vivem nos arredores de ilhas e recifes rasos (águas ricas em matéria orgânica), supostamente para evitar águas frias. Podem ser observadas apenas no Oceano Índico e no oeste do Oceano Pacífico Sul, não mudam de área tão frequentemente quanto suas parentes e possuem uma ótima capacidade de orientação para voltar aos seus locais de aglomeração e reprodução. As principais características que diferenciam a manta-oceânica da manta-de-recife são o tamanho e o peso, mas também pode ser observado que a Mobula birostris possui nadadeiras peitorais ligeiramente mais alongadas.

Mergulhador nadando embaixo de uma raia-manta-oceânica (Mobula birostris) . Fonte: Elias Levy/Flickr (CC BY 2.0).

Com costumes um pouco diferentes das mantas-de-recife, temos as mantas-oceânicas (Mobula birostris). Esses animais são migratórios e podem ser encontrados por todo o mundo nas regiões tropicais, subtropicais e temperadas, chegam a 7 metros e quase duas toneladas.

O padrão de coloração dessas raias varia muito de indivíduo para indivíduo. Enquanto alguns podem apresentar uma coloração totalmente branca na região ventral, outros podem ser totalmente pretos, ou com manchas escuras, como podemos ver na imagem. O mesmo vale para a parte dorsal dos animais, que pode ser totalmente escura ou pode apresentar manchas brancas.

Classificação Taxonômica
Classe: Elasmobranchii
Ordem: Myliobatiformes
Família: Myliobatidae
Gênero: Mobula
Espécies: Mobula birostris, Mobula alfredi

Mergulhador nadando embaixo de uma raia-manta-oceânica (Mobula birostris) . Fonte: Elias Levy/Flickr (CC BY 2.0).

Alimentação e Predação
Essas raias se alimentam basicamente de plâncton pelo sistema de filtração (um fato curioso é que essas são as únicas espécies de raia conhecidas que se alimentam dessa forma), onde o indivíduo abre sua boca enquanto nada, filtrando uma enorme quantidade de água e capturando o plâncton que fica preso em suas brânquias durante esse processo. Os principais predadores deste animal enorme são as baleias-orca e alguns grandes tubarões, como o tubarão-tigre (Galeocerdo cuvier), tubarão-cabeça-chata (Carcharhinus leucas) e o tubarão-martelo (Sphyrna spp.).

Situação da população atual
As raias-manta estão classificadas como “vulneráveis” na lista de ameaça da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais (IUCN), que monitora o status de conservação das populações de espécies pelo mundo inteiro. O principal desafio dessas gigantes é a pesca desenfreada em busca de suas nadadeiras, que são usadas na medicina tradicional chinesa, baixa taxa de reprodução e também a destruição de habitat natural, que reduz suas áreas de reprodução e aglomeração.

Raia-manta nadando com sua boca aberta, filtrando a água para alimentação. Esses animais costumam nadar em círculos verticais na água. Fonte: Gordon Flood/Wikimedia Commons (CC BY 2.0).

Como as leis de proteção para as jamantas são consideravelmente novas em relação a outros animais e por não haver tanta fiscalização em relação às mesmas, as populações dessas espécies continuam diminuindo sob essa ameaça. Mas a divulgação científica tem o papel de reverter essa situação, ajudando as pessoas a enxergarem que um animal desse vale muito mais vivo. Graças à sua beleza, as raias-manta são muito procuradas para o turismo de mergulho, que traz muitas vantagens sócio-econômicas para as sociedades locais. Afinal, quem não gostaria de estar lado a lado com essa gigante pacífica?

Fontes das Informações
https://www.bioicos.com.br/post/animais-curiosos-arraia-jamanta-a-gigante-voadora
https://www.bioicos.com.br/artigos

Bibliografia
FROESE, R. & PAULY, D. Editors. (2020). FishBase. Mobula birostris (Walbaum, 1792). Disponível em: World Register of Marine Species em: <http://www.marinespecies.org/aphia.php?p=taxdetails&id=1026118>. Acesso em: 23 mai. 2020.

FROESE, R. & PAULY, D. Editors. (2020). FishBase. Mobula alfredi (Krefft, 1868). Disponível em: World Register of Marine Species em: <http://www.marinespecies.org/aphia.php?p=taxdetails&id=1042871>. Acesso em: 23 mai. 2020.

MILLER, M.H. & KLIMOVICH, C. 2016. Relatório de Revisão do Status da Lei de Espécies Ameaçadas: Raia Manta Gigante (Mobula birostris) e Raia Manta do Recife (Mobula alfredi). Projeto de relatório ao Serviço Nacional de Pesca Marinha, Escritório de Recursos Protegidos, Silver Spring, MD. Dezembro de 2016. 127 pp. Disponível em: <https://www.cio.noaa.gov/services_programs/prplans/pdfs/ID353_FinalWorkProduct_MantaRay.pdf>. Acesso em: 21 mai. 2020.