Cachoeira da Escada ou da Divisa

A Cachoeira da Escada também chamada de Cachoeira da Divisa, está localizada à beira da rodovia Rio-Santos, a 47 km do centro da cidade, muito próximo da divisa dos estados de SP/RJ (Ubatuba/Paraty).

Cachoeira da Escada

Vindo do alto da serra, como quem não quer nada, as águas que formam a cachoeira, vêm descendo, tomando força entre rochas imensas, que descem a encosta criando gigantes degraus que, observados do alto, conclui-se uma grande escada.

Cachoeira da Escada

Assim ganhou fama, conhecida como Cachoeira da Escada ou Cachoeira da Divisa, e os lagos formados por ela são perfeitos para um revigorante e terapêutico banho.

Cachoeira da Escada

É a primeira cachoeira de Ubatuba no sentido norte-sul e também uma das maiores, e as águas desta cachoeira se juntam mais abaixo, a outros rios da bacia da região do Camburi, desaguando na praia do mesmo nome e formando no caminho, outras cachoeiras propícias para banho, como por exemplo a Cachoeira dos 3 Poços.

Na Cachoeira da Escada temos a imagem de “Oxum”, orixá de água doce, e protetora do local e uma recomendação importante, é usar repelente antes de adentrar neste paraíso.

Cachoeira da Escada

Vejam esta filmagem da Cachoeira da Escada, com muita queda de água após um período de chuvas:

(*) Até março de 2016 funcionava no local o Bar do Zé da Cachoeira, do Sr. José Agostinho que preparava a famosa linguiça caseira na chapa, no forno à lenha, servida como aperitivo, acompanhada a gosto do freguês por uma pinguinha de alambique. O ponto tornou-se também uma atração aos apreciadores de estória e história do local, como mencionava uma plaquinha pendurada no estabelecimento: “Aqui reúnem-se caçadores, pescadores e outros mentirosos…”.

Recomendações:
As cachoeiras geralmente encontram-se em locais distantes dos centros urbanos e de pronto-socorro e/ou hospitais, portanto os cuidados devem ser redobrados, siga atentamente algumas recomendações:
– Não realize trilhas sozinho e de preferência esteja sempre acompanhado de um guia credenciado ou um morador/”mateiro” da região;
– Avise previamente alguém sobre seu passeio, informando a direção que pretende seguir, lembre-se que na mata, raramente funciona o celular;
– Respeite a natureza, não retire plantas, não deixe lixo e mantenha-se na trilha;
– Utilize roupas próprias para entrar na trilha, tais como, calça comprida de preferência de tecido grosso, camisa de manga comprida e calçado.
– Muito atenção aos animais peçonhentos que existem em abundância na Mata Atlântica de Ubatuba, são cobras venenosas, como a jararacuçu, jararaca, urutú-cruzeiro e coral. Observe o caminho, pois elas podem estar “tomando sol” sobre o tapete de folhas que se forma na trilha, ou mesmo nos galhos das árvores;
– Esteja ciente que geralmente nas cachoeiras temos também muitos borrachudos;
– Redobre a atenção na área da cachoeira, pois as pedras e as lajes que se formam são escorregadias e acidentes são mais comuns do que se imagina;
– Não se arrisque mergulhando em poços fundos ou mesmo nos “escorregadores” naturais, respeite o ambiente e usufrua da beleza do lugar com muita moderação;
– Não é recomendável nadar em cachoeiras depois de um período de chuvas;
– Um fenômeno chamado “cabeça d’água”, pode causar acidentes fatais. Este acontece, quando ocorre uma chuva forte na cabeceira do(s) riacho(s) que forma(m) a cachoeira, no alto da serra, aumentando o volume de água, e provocando uma enxurrada. Muitas vezes a região onde os turistas estão desfrutando das águas da cachoeira, geralmente as piscinas/poços naturais, está ensolarada por isso é difícil prever este fato.