Ilha da Rapada

A Ilha da Rapada está localizada no Arquipélago das Couves, região norte de Ubatuba, entre a Ponta da Cruz e a Ponta da Jamanta, em pleno mar aberto, distante 5,80 km do litoral continental. Possui formato alongado no sentido sul-leste, com altitudes bastante modesta de apenas 67 metros, e quando vista do alto, a ilha se parece com uma tartaruga gigante.

Ilha Rapada

Sua encosta bastante rochosa e acidentada, com muitas pedras submersas é inteiramente revestida até a linha d’água com vegetação de grande porte, com algumas espécies nobres da Mata Atlântica, sem áreas cultivadas. É um dos mais disputados e concorridos pontos de mergulho de Ubatuba, com grande número de lajes e parcéis, boa profundidade envolta por águas transparentes que permite razoável visibilidade. Suas águas abrigam intensa vida marinha com muitas espécies de toca e de passagem temporariamente escondidos e protegidos pelas pedras da região.

O vídeo a seguir, traz um pouco da beleza subaquática do entorno da Ilha Rapada.
Fonte do Vídeo – Mergulho na Ilha da Rapada – Tarcisio Presoto
(https://www.youtube.com/watch?v=MYPWSdytGmE)

O entorno da ilha tem o fundo do mar com rochas e areia, além de grande quantidade de corais cérebro, frades, arraias, tartarugas e outros diversos tipos de peixes. Um dos melhores pontos na ilha, é a “Toca dos Pescadores”, ao lado de dentro da ilha (face noroeste). Ao lado da ilha encontra-se o Parcel da Rapada, com muitas lajes submersas, com intensa movimentação de cardumes pelágicos. É um paraíso ideal para mergulho com cilindro, indicado para mergulhadores experientes e instrutores especializados.

PONTOS DE MERGULHO:
Trilha do Morcego
Condições de fundeio: abrigado dos ventos de E, SE e S. O mergulho inicia-se próximo a grande pedra emersa com uma costeira rochosa em declive até o fundo de areia aos 9 metros, neste local, restos de cabos de poitas transformam-se em habitat de cavalos-marinhos. Nadando no sentido nordeste, a profundidade vai diminuindo progressivamente até que no extremo da ilha transforma-se num parcel raso, onde dependendo das condições do mar poder haver formação de ondulação. Frades, cirurgiões e budiões são presenças constantes.

Uma curiosidade interessante é a criação de vieiras em dispositivos pendurados em boias que dão um aspecto bem diferente ao local. Profundidade: 5 a 10 metros.

Ilha da Rapada - Google Maps
Ilha da Rapada – Imagem do Google Maps

Pedra da Cachorra
Condições de fundeio: abrigado dos ventos de E e SE. É a ponta de uma grande laje composta por um parcelado mais raso a leste e por uma queda abrupta de profundidade a sudoeste formando um paredão rochoso. Abriga uma grande variedade de peixes entre eles, peixes pedra, frades, jaguareçás, corcorocas, budiões, papagaios e pescadas. Durante os meses de setembro e outubro pode ser observado um grande número de raias prego se acasalando. Profundidade: 3 a 18 metros.

Trilha do Pigmeu
Condições de fundeio: somente com mar muito calmo. Este é um dos poucos pontos deste destino, onde é possível ver os lindos peixes anjos pigmeus, eles são pequenos, coloridos e bastante curiosos fazendo a alegria dos fotógrafos sub. O mergulho inicia-se em uma parte bem abrigada de fundo rochoso e raso que pode ser explorada por mergulhadores de todos os níveis. Seguindo a costeira, rumo sudoeste, a profundidade aumenta abruptamente. Aqui, grandes rochas no fundo arenoso formam um labirinto habitado por muitos cardumes exigindo habilidade em navegação subaquática e maior experiência devido à presença de correntes marinhas e refluxo. Profundidade: 12 a 25 metros.

Ilha da Rapada, semelhança com uma tartaruga – Imagem do Google Maps

História / Lenda
Esta pequena ilha, foi escolhida para abrigar um mistério em alto mar…
Segundo caiçaras mais antigos, ela abriga um “corpo seco” que foi enterrado atrás de uma grande pedra quadrada, defronte para costa.

Segundo conta a lenda, este pertence ao Dinico, rapaz de seus vinte anos que vivia embriagado pela cidade causando maldades por onde passava e, principalmente, à sua humilde família. Certa vez, jogando truco em um dos bares da cidade recebeu a notícia da morte de seu pai. Insensível à notícia, teceu o comentário: *“Morrê por morrê, morra ele que é mais velho…”*

Ilha Rapada

Sua mãe, Maria Rosa, moribunda, sofria pelo filho e passava seus dias rezando para que ele se regenerasse, mesmo após espancamentos que ele cometera. Porém, no momento de sua morte, em agonia, sendo espancada e agredida por um braseiro chutado pelo filho, ela rogou-lhe uma maldição que o persegue até os dias de hoje: “Bandido! A própria terra o rejeitará!”.

Sendo assim, no dia seguinte à morte deste cidadão, em seu túmulo… o inesperado! A maldição de sua mãe se concretizou e a terra o rejeitara. O coveiro da cidade encontrara seu corpo fora do túmulo e o enterrou novamente não obtendo resultados. Então, alguns parentes resolveram deportá-lo para a costeira da prainha, hoje Praia do Matarazzo, onde, em momentos silenciosos, ouvia-se gritos horripilantes vindos do local.

Então, a solução foi transferi-lo para a Ilha Rapada, onde mora até hoje. Há quem diga que antes da Ilha o corpo também fora jogado às margens do rio Lagoa, no bairro do Itaguá. Estranhamente, algumas pessoas que resolveram aportar na ilha dizem que muitas vezes o mar, que minutos antes mostrava-se calmo, “vira”; outras afirmam ter visto o corpo após a tal pedra quadrada. Mas todos dizem que só ficam tranquilos na ilha, aqueles que são “homens de muita fé”.

Fontes das Informações
https://www.ubatubavirtual.com.br/rapada.htm
https://www.brasilmergulho.com/ilha-rapada/

Fonte do Vídeo – Mergulho na Ilha da Rapada – Tarcisio Presoto
https://www.youtube.com/watch?v=MYPWSdytGmE