Trilha do Saco das Bananas

A Trilha do Saco das Bananas é também conhecida por Trilha das Praias Desertas ou Trilha das 10 Praias.
Trilha do Saco das Bananas
Passa por uma região pouco conhecida, com praias encantadoras e marcada na história pela ocupação da primeira Comunidade Quilombola do litoral de São Paulo.

Praia da Caçandoca

Se a opção for iniciar a Trilha do Saco das Bananas pela Praia da Caçandoca, passará pelas Praias da Caçandoquinha, da Raposa, do Saco das Bananas, do Simão (ou Brava do Frade), da Lagoa, Praia Mansa, Praia da Ponta Aguda, Figueira, e finalizará na Praia das Galhetas, que faz divisa com a Praia de Tabatinga já em Caraguatatuba.

Praia do Simão – Foto de @ursodemar

A trilha/caminho é de nível médio e realizada em cerca de 4 horas contando as paradas obrigatórias para fotos e um breve banho de mar em uma das praias.

Praia da Lagoa

Este é um dos percursos mais desafiadores não só por conta de sua distância (cerca de 15 Km), mas também pelo planejamento da logística de execução, pois o ideal é disponibilizar um veículo em cada uma de suas pontas ou planejar uma volta ao ponto de partida de barco.

Praia da Ponta Aguda

Importante:
Para realizar trilhas, siga algumas regras básicas: Preserve a natureza, não jogue lixo na trilha, não maltrate os animais, não entre em propriedades particulares, recolha seu lixo e dê o destino certo para ele, deixe apenas pegadas, evite fazer barulho, desfrute dos sons da natureza, cuidado para não causar incêndios na floresta, planeje bem sua caminhada e informe a alguém sobre seu passeio, proteja-se do sol, mosquitos, borrachudos e mantenha-se sempre na trilha.

Se a caminhada for extensa é indispensável alguns acessórios como um calçado confortável, calça comprida leve e macia, camiseta de manga comprida por conta do capim navalha, boné, mochila impermeável com repelente, protetor solar, máquina fotográfica, muda de roupa seca, capa de chuva, agasalho, apito, toalha, lanterna, além do lanche, água e barrinha de cereal por exemplo. Preste atenção as passadas, e desníveis causados por erosões, devido às chuvas, e a utilização de um “cajado” ajuda bastante a diminuir os impactos.

Também esteja alerta para abelhas, porcos do mato e a presença de cobras peçonhentas que são muito comuns em Ubatuba e na região da Mata Atlântica, tais como a jararaca (Bothrops jararaca), coral (Micrurus Corallinus), jararacuçú (Bothrops) e urutú-cruzeiro (Bothrops alternatus), que costumam ficar no meio da trilha, especialmente em lugares que bate sol.

Fazer trilhas acompanhado de um Guia Credenciado, é uma boa recomendação para garantir mais segurança e também aproveitar para conhecer a história do local.

Lembre-se: da natureza nada se tira, além de fotos e nada se leva, além de boas lembranças!!!