Aquário de Ubatuba

Localizado em uma das ruas mais charmosa de Ubatuba, Rua Guarani, o Aquário de Ubatuba é uma das principais atrações da cidade e tem instalações bem cuidadas.

Aquário de Ubatuba

Logo na entrada temos um terrário com tartarugas e jacarés, vários tanques com uma diversidade de peixes, tubarões, arraias e pinguins.

Aquário de Ubatuba - Jacarés

Em fevereiro de 1996, o oceanógrafo Hugo Gallo fundou o primeiro aquário privado aberto à visitação pública no país, com o objetivo de atuar em pesquisas voltadas à conservação do meio ambiente.

Aquário de Ubatuba

Aplicando o conceito de “edutainment” (do inglês, education + entertainment), este Aquário disponibiliza cursos, pesquisas, material didático e oferece aos visitantes a oportunidade de conhecer o complexo mundo marinho, tendo entre seus atrativos vários tanques de água salgada, pinguinário, tanque de águas-vivas e um “tanque de contato”.

Pinguinário
O aparecimento de pinguins na costa brasileira é bastante comum, pois todos os anos esses animais se lançam ao mar em busca de alimento  e alguns  acabam se perdendo do grupo parando nas Praias de Ubatuba.

Pinguins - Aquário de Ubatuba

O Pinguinário é onde o visitante vê de perto estes curiosos e fascinantes Pinguins-de-Magalhães, e o recinto exibe uma bela cenografia imitando seu ambiente natural, com temperatura e iluminação adequadas, onde os visitantes poderão vê-los nadando e participar da alimentação dos animais, diariamente às 11h30 e às 17:00hs.

Aquário de Ubatuba

Os Pinguins de Magalhães são aves marinhas com o corpo adaptado para viverem na água, eles não voam, e têm suas asas modificadas em nadadeiras, têm aproximadamente 70 cm de altura e pesam cerca de 3 a 5 kg. Ao contrário do que muitos imaginam, estes pinguins não são polares, vivem em área de clima temperado, podendo sofrer variações na temperatura do ambiente de 7 a 35ºC e são encontrados na Patagônia Argentina e Chilena.

Como não estão adaptados à baixas temperaturas, portanto, se encontrar um pinguim pela praia mantenha-o seco em caixa de papelão envolto em uma toalha ou jornal e espere o resgate especializado chegar e tenha cuidado para não levar bicadas, em especial nos olhos. No final de 2014 os Pinguins do Aquário de Ubatuba se reproduziram pela primeira vez sem a intervenção para ajudar na procriação de biólogos e veterinários.

Cavalo Marinho
Os cavalos-marinhos: são peixes extremamente interessantes e estranhos: têm cabeça de cavalo, bolsa de canguru e rabo de macaco para  se segurar em alguma alga ou coral. Em geral, toda área costeira com fundo coberto de vegetação, mangues ou recifes de corais, possui uma ou duas espécies de cavalos marinhos.

Aquário de Ubatuba

Em todo o mundo há cerca de 35 espécies. Todas do gênero Hippocampus. Ainda não se conhece muito sobre esses peixes. Sabe-se que os machos, em geral, são mais coloridos e agressivos que as fêmeas, diferença que os biólogos supõem resultar da competição entro os machos para derrotar os rivais e atrair as fêmeas. Nenhum macho é tão especializado no cuidado dos filhotes quanto o cavalo marinho.

Moréia
As moréias são peixes sem as nadadeiras ventrais e peitorais (ápodes), com um corpo longo e cilíndrico, normalmente sem escamas. Esses peixes vivem entocados de dia e geralmente saem para caçar à noite. São predadores vorazes de peixes e invertebrados cujos dentes finos podem ser venenosos.

Aquário de Ubatuba

Existem cerca de 30 espécies que habitam o litoral brasileiro, e em Ubatuba é freqüente encontrar exemplares de caramuru (Gymnothoraz moringua), moréia pintada (Gymnothorax ocellatus), muçum do mar (Ophichthys gomesi) e muçum pintado (Ophichthys ophis) vivendo em tocas no costão rochoso do continente e das ilhas.

Água Viva
A água-viva, também conhecida como medusa, é um animal marinho. Existem, atualmente, cerca de 1.500 espécies de medusas catalogadas. Possuem tentáculos, que podem queimar a pele de uma pessoa que a toca. Algumas podem também injetar veneno na pele de quem as toca.

Aquário de Ubatuba - Água Viva

Principais características
– Possuem corpo de consistência gelatinosa;
– Grande parte das águas-vivas tem os oceanos (água salgada) como habitat.;
– Algumas espécies vivem também em ambientes de água doce;
– Possuem estruturas sensoriais elaboradas em seus corpos;
– Utilizam os tentáculos para capturar suas presas;
– Cerca de 98% do corpo das águas vivas é composto por água.;
– Possuem formato corporal semelhante a um guarda-chuva;
– Alimentam-se, principalmente, de microplânctons encontrados nos oceanos;
– A maior parte das águas-vivas se reproduz de forma assexuada, através de pólipos.

Tanque Oceânico
Principal atração do Aquário de Ubatuba, o tanque oceânico abriga diversas espécies de peixes, sendo um dos maiores tanques marinhos do Brasil, com um volume de 80.000 litros. Representa o ambiente marinho de águas abertas, com peixes de passagem, como os Xaréus e animais mais costeiros como as Garoupas.

Aquário de Ubatuba ´Tanque Oceânico

O tanque abriga outros animais incríveis, como duas fêmeas de Tubarão Mangona (Carcharias taurus), uma ainda filhote, nativa do litoral brasileiro e pode atingir entorno de 3,5 metros de comprimento, o Tubarão-Lixa, espécie inofensiva de tubarão e as lindas Raias-Ticonha, que parecem nadar em um lindo balé, e estão no Aquário desde sua inauguração, além de várias espécies de peixes brasileiros.

Aquário de Ubatuba

Tanque de Contato
O tanque de contato oferece ao público visitante do Aquário de Ubatuba a oportunidade de um contato mais estreito com a rica fauna submarina local, principalmente aquela que habita o costão rochoso e que fica exposta durante a maré baixa.

Aquário de Ubatuba

A rica diversidade desse ecossistema apresenta organismos inofensivos aos seres humanos que podem ser tocados na medida que forem respeitados e admirados.

Aquário de Ubatuba - Tanque de Contato

É necessário muito cuidado para não machucar estes organismos e assim assegurar a eles uma boa estadia  no Aquário ajudando a ensinar e educar o público visitante.

Museu da Vida Marinha
Seguindo a filosofia de  divulgar e incentivar projetos em Educação Ambiental e Conservação, o Aquário de Ubatuba, em parceria com o Instituto Argonauta para Conservação Costeira e Marinha, mantém este museu ao lado do Aquário, com uma exposição de diversos animais marinhos.

Aquário de Ubatuba

O museu retrata a evolução e biodiversidade dos mares, desde pequenos invertebrados como o plâncton, até grandes mamíferos marinhos como as baleias.

Aquário de Ubatuba - Museu da Vida Marinha

Focado na biodiversidade marinha do Litoral Norte do Estado de São Paulo, o Museu apresenta também alguns exemplares exóticos, principalmente de conchas de moluscos provenientes de diversos países.

Aquário de Ubatuba - Museu

As peças expostas no Museu são provenientes de parcerias com Instituições, como o Museu Oceanográfico da FURG, Museu da Universidade do Vale do Itajaí, bem como de doadores como a família do Sr. Jorge Sisla e do escultor Victor Brecheret.

ONG
Parte do dinheiro arrecadado com a entrada no Museu é destinada à ONG Instituto Argonauta para a Conservação Costeira e Marinha com a finalidade de apoiar os projetos voltados à Reabilitação de Animais  questões costeiras.

As escolas seguem parceiras neste projeto, com atenção especial às escolas públicas, que têm no museu um novo complemento para as questões pedagógicas, pois este, além de todo o seu acervo, seu conteúdo informativo e educativo, tem um laboratório que permite a observação pelos visitantes do trabalho de biólogos, oceanógrafos e veterinários ao vivo, presenciando os tratamentos e montagem das peças para o museu.

Fonte de Informações:
http://aquariodeubatuba.com.br/
https://www.todabiologia.com/zoologia/agua_viva.htm