Praia do Xandra (ou do Tapiá)

A Praia do Xandra, também conhecida como Praia do Tapiá, está localizada na região sul de Ubatuba e seu acesso terrestre é por trilha que se inicia no canto esquerdo da Praia da Enseada, a chamada Trilha da Ponta da Espia, que passa pelo acesso à Praia de Fora, e finaliza na Praia do Godói.

Praia do Xandra
Praia do Xandra | Tapiá -Imagem de @snts.cris

Caminhando por dentro da Mata Atlântica, com alguns pontos com bela visão do mar, em especial da Ilha Anchieta, aproximadamente após  40 minutos, temos a saída da trilha principal, uma descida até uma bifurcação que leva até a Praia de Itapecerica, seguindo para a esquerda e até a Praia do Xandra, seguindo para a direita.

Praia do Xandra
Praia do Xandra – Imagem de @snts.cris

A Praia do Xandra é desconhecida dos turistas, que não se atrevem a fazer a trilha e passar momentos em uma praia sem qualquer infraestrutura, isso é muito bom para a natureza, visto que a praia está preservadíssima.

Praia do Xandra ou Tapiá
Praia do Xandra – Imagem de @snts.cris

Os poucos frequentadores usuais são os surfistas que buscam um point que não esteja “crowd” especialmente durante a temporada e feriados.

Praia do Xandra
Praia do Xandra – Imagem de @snts.cris

Não sabemos ao certo o motivo do nome Praia do Xandra, há hipóteses que ela chama assim pelo mesmo motivo que a Praia do Godói, ou seja, o nome dos antigos proprietários das terras adquiridas através da posse.

Praia do Godói – Praia de Itapecirica – Praia do Xandra (ou do Tapiá)

História
Os antigos dizem que é sempre prudente não estar na região da Praia da Xandra ao anoitecer pois o “Saci-Pererê” costuma fazer brincadeiras com os visitantes, como sumir com alguns pertences que às vezes são achados no meio do caminho ou então tornar os objetos invisíveis. Todos sabem que o Saci-Pererê vive em touceiras de bambús e há uma bem vistosa na Praia do Xandra.

Importante:
Para realizar trilhas, siga algumas regras básicas: Preserve a natureza, não jogue lixo na trilha, não maltrate os animais, não entre em propriedades particulares, recolha seu lixo e dê o destino certo para ele, deixe apenas pegadas, evite fazer barulho, desfrute dos sons da natureza, cuidado para não causar incêndios na floresta, planeje bem sua caminhada e informe a alguém sobre seu passeio, proteja-se do sol, mosquitos, borrachudos e mantenha-se sempre na trilha.

Se a caminhada for extensa é indispensável alguns acessórios como um calçado confortável, calça comprida leve e macia, camiseta de manga comprida por conta do capim navalha, boné, mochila impermeável com repelente, protetor solar, máquina fotográfica, muda de roupa seca, capa de chuva, agasalho, apito, toalha, lanterna, além do lanche, água e barrinha de cereal por exemplo. Preste atenção as passadas, e desníveis causados por erosões, devido às chuvas, e a utilização de um “cajado” ajuda bastante a diminuir os impactos.

Também esteja alerta para abelhas, porcos do mato e a presença de cobras peçonhentas que são muito comuns em Ubatuba e na região da Mata Atlântica, tais como a jararaca (Bothrops jararaca), coral (Micrurus Corallinus), jararacuçú (Bothrops) e urutú-cruzeiro (Bothrops alternatus), que costumam ficar no meio da trilha, especialmente em lugares que bate sol.

Sempre recomendamos fazer trilhas acompanhado de um Guia Credenciado, pois além de garantir mais segurança, também aproveitamos para conhecer melhor a história do local.

Lembre-se: da natureza nada se tira, além de fotos e nada se leva, além de boas lembranças!!!